domingo, 13 de março de 2011

Eu, recomeço.

mais Clarice, menos Cecília,
mais amor,
menos arrependimento,
mais brilho,

um conjunto de teias
que não faz sentido,
mas que constrói, recomeça, desfaz,

menos sentido,
mais sensações.
e que não haja medo,
pois o que é novo assusta
mas também apaixona.

Máquina doTempo


Talvez antes tudo fosse melhor
mas as coisas só estão como são por ser agora e como é
“o bater de asas de uma borboleta...”
eu estaria com um emprego bom
vestindo calças cintura-alta
passando um batom rosa-vermelho
cantando Cyndi Lauper a plenos pulmões
teria um pôster no meu quarto dos menudos...
e tudo faria mais sentido na simplicidade,
e não na bagunça do meu pensamento.