sábado, 25 de junho de 2011

Diário de Sensações II


Todos os ventos me traem,
Levam meus amores,
E trazem de volta segredos lacrados,
Com lágrimas-cadeado.

Todos os olhares me enganam
Com seu passado brilhante,
Nada mais que frustrante,
Tão cheio de medos e angústias

Todos os sonhos me iludem
Com suas sensações verdadeiras,
E suas gentes certeiras,
Lotado de tristeza ao acordar

Todas as injúrias me foram sinceras,
Ao mostrarem-se sempre tão reais,
Enchendo toda realidade,
De verdades que não são ditas,
Mais visíveis nas entrelinhas,
Nos seus meio-riscos,
Azuis, borrados de tinta,
E de novo, de água salgada,
Do mar,
Da sua íris.

tema: angústia, abandono

sábado, 23 de abril de 2011

Redescobrindo


E foi desejando ser você
Que eu encontrei a mim.
Numa dessas páginas meio viradas, rasgadas,
Fui procurando as palavras,
e defini tudo,
Sem nada,
Só pra me confundir.

Foi no meio de tantas paixões,
Que me apaixonei pelo mundo,
E por todas as coisas,
No meio delas eu me perdi,
Suspiros,
Coloridos e tão doces.

Querendo abraçar o mundo,
Abracei meu próprio corpo,
Descobrindo na solidão,
Uma grande amiga.

Querendo sentir tudo,
Achei na simplicidade
de novo,
o maior amor,
a amizade.

domingo, 13 de março de 2011

Eu, recomeço.

mais Clarice, menos Cecília,
mais amor,
menos arrependimento,
mais brilho,

um conjunto de teias
que não faz sentido,
mas que constrói, recomeça, desfaz,

menos sentido,
mais sensações.
e que não haja medo,
pois o que é novo assusta
mas também apaixona.

Máquina doTempo


Talvez antes tudo fosse melhor
mas as coisas só estão como são por ser agora e como é
“o bater de asas de uma borboleta...”
eu estaria com um emprego bom
vestindo calças cintura-alta
passando um batom rosa-vermelho
cantando Cyndi Lauper a plenos pulmões
teria um pôster no meu quarto dos menudos...
e tudo faria mais sentido na simplicidade,
e não na bagunça do meu pensamento.