domingo, 31 de outubro de 2010

(não)conselhos



Vive a vida, não a fotografes.
Procura respostas em ti mesmo, não em João Bidu
Quando a vida te fizer sentir dor, cura teu coração, mas não uses Mertiolate
Se parecer que tudo está no fim, vive o máximo, não creias no para sempre
Talvez o amor da tua vida não te ame, acalma-te, tudo passa
No dia em que te enjoar de todas as cores, não queiras o escuro, afoga-te no branco, e
[todas as cores te tocarão
Tuas palavras podem te cansar, mas não deixe de dizê-las talvez mudem algo para alguém
Pelo teu rosto lágrimas vão correr, enxuga-as, mas não as desvalorize, são parte de você


E, por fim
Não siga nada que te disse
Por que a mudança deve vir de você.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Nada

Eu quero um algo para escrever, um alguém para amar, eu quero um motivo doce para pulsar. Quero amigos, sonhos, flores. Quero chocolate e chorar pelas dores. Eu quero que o eu sejamos nós, juntos de mãos dadas.
Quero todas as linhas,
Sem versos,
Quero contínuo. Ventania. Até confusão.
Qualquer coisa não-nula, qualquer diferença, diferente de nada.
Sejamos músicas, todos os dós, todos os tons, todas as cores.
Sinestésicos, sensacionais, gritantes, sazonais.
Brilhantes, desconectados, ligações covalentes e iônicas.
E quero acima de tudo ser o mundo, ser Humano.

.




Seus cacos
Vidrados em meus olhos.
Minhas inseguranças
Seus medos
Seus sonhos
Segredos.

Dor é
Não ter,
Ser.

Somos o que?
A dúvida
O desejo?
A falta ferida.

Coração aberto
Todo embolado
Cheio de aperto
Fechado.